Logotipo
 
Peça de teatro «Biodegradáveis» - escrita a partir do contacto com investigadores do Ipatimup
2014/11/6 - 2014/11/16
 

O VISÕES ÚTEIS, em coprodução com o Teatro Nacional São João

e em colaboração com os laboratórios IPATIMUP e 3B's

apresenta "BIODEGRADÁVEIS" no Teatro Carlos Alberto / Porto

 



Escrita a partir do contacto direto com investigadores de dois importantes laboratórios - o 3B’s na Universidade do Minho, e o IPATIMUP na Universidade do Porto, a nova criação original da companhia Visões Úteis- "Biodegradáveis" - centra-se nos efeitos da passagem do tempo sobre os corpos, e as estratégias que vão sendo encontradas - e inventadas - para tentar superar oslimites da Biologia humana.

O espetáculo surgiu do desejo de abordar o tema do envelhecimento, os limites do corpo e o modo como os avanços científicos vão alterando as expetativas individuais face à doença e à mortalidade, e a própria definição do que é o “humano”. No fundo, refletimos acerca do modo como a ciência vai modificando os nossos comportamentos, a imagem que temos de nós próprios, a forma como envelhecemos e o modo como representamos o mundo.

“Biodegradáveis” olha para este estonteante presente – em que podemos traçar a nossa linhagem genética, substituir partes do corpo por materiais cada vez mais sofisticados, prevenir uma doença fatal anos antes de termos o primeiro sintoma, escolher entre uma panóplia de modos de dispor do nosso corpo após a morte – e pensa em como assim se vai desenhando lentamente um futuro em que a humanidade poderá ser qualquer coisa para lá do humano.

Afinal o que nos torna humanos? A nossa capacidade de conhecer? Usarmos ferramentas? Contarmos histórias? Recordarmos? O nosso corpo? O ADN? Fazermos teatro?.

Dos encontros com investigadores e do contacto com a realidade de laboratório nasceu um espetáculo onde se cruzam uma série de discursos sobre o corpo – da incerteza do diagnóstico aos negócios em torno do post-mortem, do valor de uma estatística à análise da história familiar como cadeia de transmissão de doença – e um conjunto de situações, mais ou menos surrealistas, inspiradas pelo trabalho científico: O que aconteceria se uma investigação fosse inexplicavelmente contaminada no último momento? E se os animais do Biotério entrassem em greve?

Em “Biodegradáveis” não se pretende retratar o quotidiano do investigador; refletimos, isso sim, sobre as expetativas e alguns dos estereótipos que o grande público parece partilhar em torno do que é a prática do cientista. E, acima de tudo, pretende-se celebrar algumas das características que acreditamos serem comuns a quem faz Arte e a quem faz Ciência – a persistência, o sacrifício, a paixão, a constante dúvida e o permanente desejo de perceber e ajudar a melhorar o humano.


Biodegradáveis - de 6 a 16 de novembro
Teatro Carlos Alberto / Porto

de quarta a sábado às 21h30, domingo às 16h
Bilhete normal - 15€ 
Reservas, condições especiais e descontos

Para mais informações contacte-nos através de mail@visoesuteis.pt

texto e direção- Ana Vitorino, Carlos Costa cenografia e figurinos- Inês de Carvalho banda sonora original, sonoplastia, grafismos e vídeo -João Martins desenho de luz- José Carlos Coelho cocriação - Catarina Ribeiro Santos e Cristóvão Carvalheiro (Porta 27) coordenação de produção- Marina Freitas interpretação- Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Ribeiro Santos, Cristóvão Carvalheiro  coprodução- Visões Úteis, TNSJ colaboração- Ipatimup – Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, 3B’s – Biomateriais, Biodegradáveis e Biomiméticos apoio Adão Oculistas